Buscar
  • Flávia Lopes

AS TECNOLOGIAS QUE ESTARÃO EM ALTA ESTE ANO!


Na contramão do fluxo, em 2021 o que mais ouviremos falar, não será de tecnologias de smartphones e televisores de tela grande. As tecnologias invisíveis como softwares e produtos de internet que ganharão visibilidade e espaço no mercado digital. A pandemia nos levou a precisar lidar com tecnologias esquecidas, como a Apple Pay e Square e fez surgir outras no mercado brasileiro como a AME e Pic Pay. Se antes não sentimos segurança em fazer pagamentos online, transferências, agora o vírus acelerou esse processo pelo impossibilidade de utilizar cartões e deslocar-se as lojas. Nesse caminho do que existe há anos e só agora ganha notoriedade, está a realidade aumentada. "Tecnologia, que nos permite interagir com objetos digitais sobrepostos em nosso mundo físico" (Ny Times) e em construção há mais de uma década, agora nos permite, por exemplo, tirar uma selfie para ver uma renderização digital de maquiagem em seu rosto sem precisar ir a loja experimentar. Leia até o final para você saber melhor quais sãos essas novidades que vão invadir o mercado: 1) Tecnologia para substituir as lojas Muitas empresas já tem usado os "bots" (robos com respostas prontas) para atender seus clientes e a partir dali, falar também com um atendente. Essas experiência de compra tem tendências de ser cada vez mais aperfeiçoada com a ajuda da realidade aumentada. Exemplo disso é a Jins Eyewear, que vende óculos graduados, permitindo que você tire uma foto do seu rosto para experimentar virtualmente os óculos antes de decidir se deseja comprá-los. Snap, a empresa-mãe do Snapchat, se associou a marcas de luxo como Gucci e Dior para oferecer testes virtuais. Com o avanço da tecnologia, os smartphones de ponta já conseguem detectar profundidade na câmera, permitindo o uso de aplicativos de realidade aumentada para colocar objetos como móveis virtuais em espaços físicos e experimentar a cor de uma tinta na parede, por exemplo. Segundo o Ny Times, esse ano os anunciantes devem gastar cerca de US $ 2,4 bilhões em publicidade de realidade aumentada, um crescimento de 71% em relação aos US $ 1,4 bilhão do ano passado, de acordo com a empresa de pesquisas eMarketer. 2) Wi-fi mais inteligente

Na pandemia a medida que o isolamento social se fazia necessário, ficou mais evidente que as conexões de Internet se tornaram mais lentas. No ano passado a velocidade media da internet diminuiu segundo matéria do The New York Times e um dos motivos foi porque os provedores não suportaram o tráfego pesado. Mas para nosso alívio e garantia do streaming de todo dia, o Wi-fi vai ganhar um up grade para Wi-fi 6, um padrão novo de rede. Essa atualização não irá se concentrar na velocidade e sim na largura de banda, o que configura a eficiência, já que permitirá conectar um grande número de dispositivos a ela. Em outras palavras, hoje Wi-fi permite que um dispositivo ocupe a maior parte da sua largura de banda, com o WI-fi 6 essa distribuição será mais igualitária, melhorando a eficiência. E cada vez mais, ela se torna vital, já que cada vez mais conectamos coisas a internet, de geladeira a TV, relógio a balanças de banheiro. Segundo pesquisa da Cisco, número de dispositivos conectados à Internet por pessoa deve subir para cerca de quatro em 2023.

3) Tecnologia que nos permite manter nossas mãos livres Os pagamentos moveis ganharam força no ano passado, nos Estados Unidos 67% dos varejistas passaram a aceitar pagamentos sem contato, sendo que em 2019 esse número era de 40%, segundo pesquisa da Forrester. A tecnologia chamada de "Mãos Livres" (Hands-Off) não termina nos pagamentos por celular ou relogio. Existe uma tecnologia relativamente nova chamada Ultra -Wide Band que tem tudo para encontrar seu lugar ao sol. Ela usa ondas de rádio para detectar objetos com extrema precisão, embora não tenha sido muito utilizada desde sua estréia, há cerca de dois, acredita-se que esse será um bom momento perante a necessidade de experiências sem contato, segundo Milanesi da Creative Strategies. Uma das utilidades dessa tecnologia será em lojas. Se o estabelecimento tiver um tablet com a tecnologia e o cliente quiser fazer um pagamento, os aparelhos poderão se reconhecer e fazer a transação sem correr o risco de a pessoa atrás de você da fila receber o dinheiro, por exemplo. Também poderá ser utilizada para permitir que funcionários entrem em prédios e dar a partida em carros sem chaves físicas. 4) Tecnologia que virtualiza o trabalho e o autocuidado. A pandemia deixou claro que experiências virtualizadas, como videoconferências e ioga Zoom, são substitutos viáveis para o presencial. Espera-se quem em 2021 outros produtos e servios sejam digitalizados. Algumas empresas estão recriando salas de conferencia com a realidade virtual. A AltspaceVR da Microsoft permite, por exemplo, que os funcionários usem fones para reuniões em forma de holograma. O Facebook disse que está acelerando seus planos de levar a realidade virtual aos escritórios, através de seu Oculus Quest 2. Por conta das academias que fecharam na pandemia, estamos recorrendo cada vez mais a tecnologia para nos mantermos saudáveis. Nessa pegada fitness a Amazon lançou seu primeiro "wearable" (tecnologia vestível) para rastreamento físico e varredura de gordura corporal. A Apple lançou o Fitness +, um serviço de vídeo que dá instruções para atividades físicas em casa. Resta saber o quanto dessas tecnologias irão se desenvolver ou se cairão em esquecimento com o fim do isolamento social.

Gostou? Compartilha esse texto com seus amigos e os deixe saber o que esperar das tecnologias em 2021!



EXTRAS:

Quer ler mais sobre o assunto? Clica aqui ⬇️


Demonstração do Oculus VR do Facebook ⬇️


0 visualização0 comentário