Buscar
  • Agência Glass

BRIEFING: O QUE É E COMO FAZER?

Atualizado: Fev 10



Seja qual for o objetivo da sua ação, como, por exemplo, lançar um produto ou posicionar melhor sua marca no mercado, é importante que você faça isso a partir de etapas bem estruturadas para elevar suas chances de sucesso.


Se você ainda não domina o conceito, não se preocupe. Neste artigo, explicaremos o que é o briefing, como fazer e suas aplicações em campanhas de marketing e ações publicitárias e ainda daremos alguns exemplos para te facilitar ;)


O que é um briefing?


Briefing é o documento elaborado para guiar um projeto específico, contendo orientações e objetivos. Ele traz informações claras e sucintas para embasar as melhores estratégias para todos os momentos do projeto para que você possa alcançar os objetivos que estipulou, funcionando como uma descrição do trabalho a ser realizado.


Se tudo isso o fez lembrar de planejamento estratégico está no caminho certo para entender o conceito, embora o briefing seja muito mais objetivo e direto ao ponto.


Trazendo para o campo do marketing, um briefing precisa conter algumas informações necessárias para que seja útil, como:


  • Detalhes sobre o produto ou serviço;

  • Mercado em que atua;

  • Perfil do consumidor;

  • Objetivos tanto da empresa quanto do cliente.


Lembrando que, para que ele seja eficiente e cumprir com sua proposta, o briefing não pode ser muito extenso e é necessário que ele traga informações claras e que tenham real relevância para seu projeto.

Além disso, precisa ser de fácil acesso a qualquer momento para todos os envolvidos.


Mas por que o briefing é tão importante?


Ter um briefing bem estruturado é o pontapé inicial para garantir o sucesso de qualquer planejamento e isso acontece porque ele traz muitas vantagens.

Vamos relacionar agora alguns dos motivos pelos quais você precisa de um briefing hoje mesmo no seu negócio.


Confira!


Informações centralizadas e organizadas


Como falamos anteriormente, o briefing serve para agrupar em um lugar só as informações relevantes para o desenrolar do projeto.


Geralmente, o conteúdo é separado em blocos o que facilita a missão aos vários departamentos de uma agência, como criação, mídia e planejamento, por exemplo. Fica mais simples para todos acessarem as informações e por isso, é recomendável que elas sejam claras, além de ser uma forma de assegurar que a equipe não irá se perder na execução, deixando de dar a atenção necessária para pontos importantes.


Aumenta a assertividade do trabalho


Imagine criar estratégias e ações sem conhecer nada sobre a história de seu cliente? Não seria o mesmo que dar vários tiros no escuro?

É por isso que o briefing se mostra bastante útil para atender à todas as expectativas com precisão, principalmente por fornecer um breve histórico da empresa e um panorama do mercado em que atua, facilitando o trabalho da equipe de marketing.


Tudo no caminho certo


Além de ajudar a entender a empresa, seus objetivos e desafios, o briefing possibilita seguir o caminho certo estipulado no planejamento para que os resultados sejam alcançados.


Com um plano bem estruturado em mãos, contendo todas as etapas do processo claramente definidas, fica difícil registrar falhas de comunicação entre os envolvidos.

Essas falhas prejudicam pois levam o projeto a sair do foco. Com tudo seguindo no caminho certo, aumenta até a credibilidade e confiabilidade da empresa. Afinal, indica que ela sabe realmente o que está fazendo.


Equipe focada e engajada


Com o briefing pronto, fica muito mais fácil manter a equipe engajada e inspirada, já que ela conhece o cliente e o motivo por trás daquele projeto no qual ela está trabalhando. Por isso, é preciso reservar um tempo para se reunir com o cliente e tentar extrair o máximo de informações relevantes possíveis, afinal, ninguém melhor para conhecer seu negócio que ele mesmo.


TÓPICOS


Agora que você sabe da importância de um briefing para o sucesso de um projeto e como ele é uma peça fundamental para todas as etapas do trabalho, é hora de conhecer mais um pouco sobre seus componentes.


Vale lembrar que cada agência ou empresa possui seu próprio modelo de negócio, logo, pode existir uma infinidade de modelos de briefing. Porém, independentemente disso, é interessante que o briefing contenha os tópicos abaixo.


Histórico


Esse é o momento de conhecer o cliente, ou seja, colher informações dadas por ele mesmo sobre a trajetória da empresa, o que vem acontecendo no mercado onde atua, entre outros pontos E a partir daí, o desafio é montar um cenário mercadológico.


O problema de marketing


Esse é um dos principais tópicos, que deve estar presente em qualquer briefing. Podemos dizer que o problema de marketing é o background para a necessidade que o cliente encontrou. Ou seja, estamos falando do real problema que ele está passando no momento, aquilo que o motivou a procurar ajuda para solucioná-lo.


Objetivo(s) da pesquisa


Seu cliente pode ter um ou vários problemas, mas o que realmente importa é que esses objetivos resolvam o problema de marketing definido anteriormente. Além disso, é importante que você seja breve e claro. E não se esqueça de manter todos os envolvidos no projeto a par dos objetivos!


Padrão de ação


Esse é um daqueles tópicos muito importantes, mas que por vezes acabam esquecidos pelos clientes.


Afinal, o que ele vai fazer quando tiver os resultados em mãos? Qual decisão será tomada? Definir esse padrão de ação ajuda a guiar mais facilmente a pesquisa, a selecionar os responsáveis por cada ação e a avaliar os resultados obtidos.


Questões específicas


Levando em consideração o problema de marketing e os objetivos estabelecidos, esse é um tópico no qual o cliente acrescenta todas as questões e informações que deseja saber. E como o nome sugere, vai mais diretamente na especificidade do seu negócio.


Público-alvo


Como tudo que envolve marketing, chegamos ao componente de ouro do seu planejamento. De nada adianta propor as ações se elas não dizem nada para quem for atingido, não é mesmo?


Por isso, além de informações básicas de cunho social, demográfico e econômico, é interessante saber mais sobre os comportamentos e atitudes do público-alvo.


Aproveitando o tópico, talvez seja interessante definir a buyer persona do seu cliente nessa etapa do processo. Ela corresponde ao perfil de cliente ideal, reunindo características em comum como hábitos e interesses.


Áreas geográficas


Agora chegamos no momento de definir os locais nos quais o planejamento irá tomar forma ou onde a pesquisa de mercado vai ser aplicada, por exemplo.

Se você trabalhou com atenção na etapa anterior, do público-alvo, já tem a resposta que precisa para este tópico.


Materiais anexos


Este item também é conhecido como material de apoio, pois é justamente isso que é para ser feito.


Você deve definir os materiais que serão necessários para a execução do planejamento junto com o cliente. Além de tudo, é importante perguntar se existem trabalhos anteriores. Eles podem servir de referência para o atual.


Limitações de prazo e custo


Nesta etapa, o cliente deve definir um prazo para a finalização do projeto. Além disso, não tenha vergonha de perguntar o orçamento disponível para a execução.

Todas essas informações servem para gerir melhor o projeto e adaptar as necessidades com a realidade do cliente.


Melhor ser informado sobre uma limitação do que identificá-la em meio à execução de um projeto.


E então? Você já sabe como montar um briefing? Gostou das dicas? Fique de olho no blog da Agência Glass e acompanhe as novidades ;)

5 visualizações0 comentário